Melhores leituras de 2021

De onde vem as minhas ideias? A maioria delas de coisas que vivi, outras tantas dos dias que encostava na parte sanfonada do metrô ou ficava esperando o busu aparecer no ponto e ouvia conversas aleatórias.

Experiências de vida ajudam a criar histórias, mas nada como os livros para descobrir como estruturar um bom enredo, como fazer as pessoas continuarem virando as páginas e seguido em frente.

Minhas leituras de 2021

O skoob, minha rede social preferida — mané Goodreads — fez o resumo das minhas leituras no ano passado e fiquei surpreso com o meu total de 35 livros. A maioria deles foram ebooks, mas mesmo assim a quantidade de livros ‘físicos’ que li foi considerável tendo em vista meu escasso tempo livre.

Leituras de 2021 — Skoob. Descrição: Série de tabelas onde mostra o total de livros (35) páginas (7310) e outras informações a respeito das minhas leituras em 2021. No canto inferior direito tem a imagem do maior livro lido (Kindred, 432 páginas) e o menor (E o Sertão Virou Mar, 15).

Melhores leituras de 2021

Comecei o ano lendo o excelente Kindred de Octavia Buttler e nem vou perder nosso tempo aqui dizendo o quanto eu gostei deste livro. Apenas Leiam.

Li indicações de amigos e tive excelentes surpresas positivas com O Aprendiz de Assassino de Robin Hobb (obrigado Lionel), simplesmente fantástico e, fugindo um pouco de ficção, cheguei a Pele Negra, Máscaras Brancas (obrigado Junio) que foi o primeiro livro de Frantz Fanon, considerado um dos textos mais influentes da luta antiracista de todos os tempos.

Assinei promocionalmente o Kindle Unlimited e li muitos autores independentes, em sua maioria nordestinos e fica aqui a dica para vocês correrem atrás:

  • O Sertão Não Virou Mar e Morte Matada, ambos de G. G. Diniz
  • A Noite Tem Mil Olhos de Alec Silva
  • Tudo que eles tocam de Abel Cavira
  • Tchau de Ricardo Cury
  • Neuroses A Varejo de Aline Valek

Os dois últimos, em negrito, da lista acima, eu recomendo fortemente. O livro de Aline Valek é mais curtinho e tem quatro histórias imperdíveis, uma delas, a última é sensacional. Já o livro de Ricardo Cury é uma daquelas histórias em que a gente acompanha dois personagens em paralelo e espera os arcos se cruzarem no final, muito emocionante.

Além de todas essas leituras que chegaram de indicações que vejo por aí ou que alguém me passa diretamente, assino um clube de livros (acho que é isso) em que recebo todo mês um livro diferente e inédito (no Brasil). Desses 12 livros que li ano passado, três deles são os meus destaques:

  • A Biblioteca da Meia-Noite de Matt Haig
  • A Garota que Não se Calou de Abi Daré
  • Longo e Claro Rio de Liz Moore

That´s all folks!

Estes foram os meus destaques dentre os mais de 30 livros que li em 2021. Não sei se manterei esse ritmo em 2022, mas pelo menos tenho como meta manter as minhas leituras a mais diversa possível, como vem sendo.

E vocês, o que leram em 2021?

Este texto foi adaptado de minha newsletter, se quiser receber um conto de ficção especultativa por mês tendo a Bahia como cenário, é só acessar aqui.

😁👍

--

--

Baiano, engenheiro de software, redator na pocilga.com.br, integrante do podcast Suco de Umbivis e aspirante a escritor. Nas redes sociais @marciosmelo

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store
Marcio Melo

Baiano, engenheiro de software, redator na pocilga.com.br, integrante do podcast Suco de Umbivis e aspirante a escritor. Nas redes sociais @marciosmelo